Capítulo 6: O Lançamento Da Sua Campanha Social


Tem uma oportunidade única: entre na conversa e fale diretamente com o seu público. Descubra como lançar uma campanha social que aumenta a sua exposição, vendas e visitas da melhor forma, focando-se no seu cliente. Vamos começar?

facebook share iconlinkedin share icontwitter share icongoogle plus share icon

QUATRO FORMAS DE PARTILHAR



Ter uma página do Facebook não é uma estratégia social. As redes sociais podem servir para criar uma fonte de tráfego constante, ou ser um buraco negro onde a sua marca se perde no meio de tantas outras.

Para evitar isso, precisa de 3 coisas:

  • Identificar os canais sociais que o seu público utiliza
  • Criar uma mensagem que seja facilmente identificada com a sua empresa e com a qual o público se identifique
  • Perceber quais as redes sociais que melhor complementam o processo de conversão do seu site. O seu objetivo é ter mais tráfego, mas tráfego que compre.


Existem 5 opções que se destacam.
Descubra qual a melhor para si.


Conheça as Suas Opções


Existem várias redes sociais, mas no mercado de língua portuguesa, há 5 que se destacam do resto: Facebook, Twitter, Linkedin, Pinterest e Youtube. Cada uma tem os seus pontos fortes e fracos que deve ter em conta:

1. Facebook

A rede social mais usada nos países de língua portuguesa. Usada principalmente para falar com amigos e familiares. Tem como vantagens:

  • pode criar páginas de empresa que se integram nas notícias do seu público
  • pode promover o seu conteúdo gratuitamente ou com anúncios pagos
  • várias formas de divulgar conteúdo (vídeo, fotografias, texto)

A grande desvantagem do Facebook é a razão pela qual é tão utilizado. Por ser uma rede usada principalmente para falar com amigos e familiares, a maior parte das pessoas não gosta de ser “vendida”. Os utilizadores são muito críticos dos anúncios que aparecem e a maior parte das pessoas já aprendeu a ignorar os “banners” do Facebook.

2. Twitter

O Twitter é uma rede social de micro blogging que permite distribuir e procurar informação de forma rápida e fácil. Não é por acaso que o Twitter é um dos meios mais utilizados por jornalistas para procurar informação ou histórias online.

O Twitter permite comunicar com pessoas fora do seu círculo e as hashtags ajudam-no a descobrir os tópicos e as conversas onde pode participar. Como desvantagens, o Twitter tem uma plataforma de anúncios limitada e a forma de comunicar em frases curtas que podem complicar o passar da sua mensagem.

3. Linkedin

O Linkedin é a maior rede social B2B (business to business). Foi criada para ajudar os profissionais a realizar networking, criando ligações com profissionais de várias áreas.

Permite recrutar, juntar-se a grupos com os mesmos interesses, e enviar mensagens privadas a outros membros. O Linkedin tem desvantagens: anúncios mais caros, menos receptividade por parte de alguns membros, e pouca utilização por parte de outros. Importa referir que o Linkedin está a crescer no Brasil com um aumento de 25% em 2016 para os 25 milhões de utilizadores.

4. Pinterest

A rede social mais visual, que permite usar “pins” para colocar imagens dos seus tópicos favoritos em vários quadros.

Segundo a comScore, 71% dos utilizadores são do sexo feminino. Pode gerar muito tráfego para um site mais visual. Este é também o maior defeito do Pinterest: existem poucas áreas profissionais que conseguem tirar partido do lado visual. Finalmente, 75% do tráfego do Pinterest é móvel. Isto significa que deve ter o seu site otimizado para móvel se quer receber este tráfego.

5. Youtube

O Youtube é a maior rede de distribuição de vídeo e a melhor forma de gerar tráfego nesta área. Mais indicado para empresas que trabalham diretamente com vídeo ou como forma de lançar uma campanha de promoção.



Responda a estas 3 perguntas e
irá descobrir qual a melhor rede para si.


Qual a Melhor Para Mim?


Agora que já tem os pontos fortes e fracos de cada rede, fica mais fácil escolher a melhor para si. É verdade que a mais usada e o Facebook, mas isso não significa que seja a melhor para o seu negócio.

Existe uma grande pressão para não ficar para trás. A ideia de que se não tem uma página no Facebook ou no Twitter, que pode estar a perder. Em primeiro lugar, é importante referir que as redes sociais são um investimento. Custam tempo e dinheiro. Como qualquer outro canal de marketing, requerem um planeamento e uma estratégia bem executadas, todos os dias.

Por isso mesmo, não sinta a necessidade de estar numa rede social, só porque os outros estão. Antes disso, deve fazer estas 3 perguntas?

  • qual o meu objetivo e que comportamento quero da parte das pessoas?
  • quais as redes sociais que geralmente integram os produtos e serviços que eu ofereço?
  • quem são os meus clientes ideais e qual é o seu comportamento online?

Escolha as redes sociais que se alinham com o seu cliente ideal. Se tem uma empresa B2B, a escolha óbvia é o Linkedin. Os grupos são o sítio ideal para participar e divulgar o seu conteúdo.

Por outro lado, um site e-commerce terá melhores resultados em redes sociais com o Facebook ou Twitter. Quais são os hábitos do seu público? Idades, padrões e preferências? Procuram uma interação mais profissional ou casual com a sua empresa?

E o seu objetivo? Se quer apenas divulgar a sua marca e criar um maior reconhecimento, pode focar-se em testemunhos de clientes, conteúdo compartilhável (vídeos e imagens) e qualquer tipo de interação que promova a distribuição do seu conteúdo.

Se por outro lado, procura clientes para comprar os seus produtos ou serviços, será melhor interagir apenas com grupos interessados no seu produtos, através de conteúdo relevante e criado para as fazer “sim, quero comprar”.



Os Tipos de Conteúdo Que Pode Publicar e Partilhar


Um dos maiores erros que as pessoas cometem quando começam a implementar a sua estratégia social, é pensar que só devem publicar conteúdo promocional. Porque é isso acontece?

A resposta é simples: porque é assim que sempre funcionou o marketing tradicional. Tentar “empurrar” uma mensagem para cima das pessoas, quer elas queiram ou não.

O marketing digital é diferente. Tem de se  baser na confiança, na qualidade e no sentido de comunidade que existe nas redes sociais. O marketing promocional é muito importante, mas existem outras opções que irão ajudá-lo a atrair pessoas.

Conteúdo Similar e Adjacente

Se as pessoas seguem as suas contas sociais, é porque estão interessadas no que tem para lhes oferecer. Não se fique por aí, partilhe também conteúdo que é similar ou adjacente ao seu negócio ou algo que envolva os interesses do seu público. Por exemplo, se tiver um negócio de venda de produtos eletrónicos, pode publicar um artigo sobre um novo produto que irá ser lançado ou notícias relevantes na área da tecnologia. Estes tópicos estão alinhados com os interesses do seu público.

Dicas e Estratégias

Partilhe conteúdo que ajuda a tornar a vida dos seus leitores mais fácil. Isto pode incluir formas de usar o seu produto ou serviço, mas não só.

Faça parte da discussão

Como referimos há pouco, nem tudo o que publica deve ser sobre a sua empresa. Pode publicar conteúdo ou ideais de outras pessoas. As redes sociais são sobre partilhar, mas também são sobre discutir o que é partilhado. Use as suas contas para participar nas discussões relevantes para a sua marca, dando-lhe mais visibilidade (o Twitter é ideal para isto).



As pessoas querem 2 coisas de si:
aprender algo novo ou ser entretidas.


Como Criar Uma Comunidade Que Confia em Si e Promove o Que Publica


Existem 3 pontos importantes para criar uma comunidade de fãs que interagem com o seu conteúdo:

  • que invista em criar uma comunidade
  • que crie uma lista de subscritores (email)
  • que promova conteúdo de qualidade

Repare que usei a expressão “fãs que interagem com o seu conteúdo”. Ter centenas ou milhares de fãs que não interagem com as suas publicações é tão mau ou pior do que não ter uma presença social. É sinal que não está a conseguir atingir o seu cliente, nem está a falar a mesma lingua que ele.

A criação de uma comunidade através de uma lista de email

Para criar uma comunidade, precisa de começar a criar uma lista de utilizadores onde guarda os seus contactos. Não existe uma melhor forma de fazer isto do que através das listas de email.

Em primeiro lugar, dê aos seus leitores a hipótese de subscreverem ao seu conteúdo. A seguir, promova sempre o seu bom conteúdo em conjunto com algo de extra que as pessoas podem receber em troca do seu email. Exemplos: “Guias, Listas, PDF’s”. Algo que seja relacionado com o conteúdo e que seja do interesse dos leitores.

Se saltou o capítulo 5, recomendamos que volte atrás e leia. Vai ajudá-lo a saber tudo o que precisa para configurar uma lista de email em menos de 5 minutos.

As redes sociais não são um local para vender

Existem vários sítios onde a sua mensagem de marketing funciona. As redes sociais não são um desses sítios. Pense no seu caso: quando foi a última vez que clicou num link de algo que viu num anúncio do Facebook, leu a página toda e depois comprou o produto? Há um mês? Um ano? Nunca?!

As pessoas usam as redes sociais para falar com amigos, ver fotografias e relaxar. Outros usam para se informar de notícias (Twitter) ou expressar a sua opinião. A melhor forma de perder a atenção destas pessoas em 2 segundos, é tentar vender-lhes qualquer coisa. 

Tem de ser interessante e chamar a atenção. Precisa de criar uma relação e ser uma marca que partilha coisas que interessam às pessoas e não necessariamente à empresa. As pessoas querem 2 coisas de si: aprender algo novo ou ser entretidas.

Como ser interessante e conquistar pessoas

Para ser interessante, basta comunicar com as pessoas duma forma simples, usando a mesma linguagem que elas usam e através do meio que elas preferem. O que é isso do meio? É saber se o seu público prefere imagens, vídeos ou texto.

Ao adaptar o conteúdo ao seu público, irá criar maior engajamento (interação). E a seguir? A seguir, precisa de pegar nessa interação e levá-la ao próximo nível: fale diretamente e converse com as pessoas que consomem o conteúdo. Seja social e junte-se à conversa. Responda às perguntas e faça você perguntas.

Estas perguntas podem ajudá-lo a perceber melhor o seu cliente e que se interessa por eles. A opinião deles é importante para si e só eles o podem ajudar a melhorar. Pode até perguntar-lhes diretamente qual o tipo de conteúdo que querem ver a seguir.



O sucesso nas redes sociais passa por
mais do que só aumentar vendas.


Como Medir o Seu Sucesso: as Métricas Das Redes Sociais


O seu objetivo com as redes sociais, deve ser criar uma fonte de tráfego, um público que visita o seu site e converte. Isto é diferente de vender. Pelo menos diretamente.

As redes sociais permitem colocar o pé na porta. Tem uma hipótese de expôr o seu conteúdo e a sua mensagem a essas pessoas. O objetivo inicial, passa por criar conhecimento da sua existência e depois interesse no que tem para dizer ou vender.

É o primeiro passo do funil de vendas que descrevemos em capítulos anteriores. Não se preocupe se as visitas dos sites sociais não convertem muito bem. Isso é esperado. Como referimos antes, as pessoas não estão em modo comprador. É por isso que quer ficar com o contacto delas: assim poderá atraí-las de volta ao seu site, uma vez e outra vez, até que decidam passar do desejo para a ação.

Existem 4 tipos de métricas:

1. Métricas de Consumo ou Engajamento

  • Visualizações de Páginas
  • Utilizadores
  • Duração média na página
  • Bounce rate (percentagem de pessoas que deixam site sem interagir com ele)
  • Visitas Retornadas (pessoas que voltam a visitar a sua página)

2. Métricas Sociais ou de Viralidade

  • seguidores
  • partilhas, menções, likes e comentários
  • alcance (número de pessoas que viram o conteúdo)

3. Métricas de Conversão

  • taxa de conversão (percentagem de pessoas que tomaram ação desejada)
  • conversões (números absolutos)
  • potenciais clientes, subscritores
  • custo por conversão
  • custo por utilizador

4. Métricas de Valor

  • LPV e LPC (lucro por visita e lucro por cliente)
  • LTV (valor de vida do cliente; quanto ganha em média com cada cliente)
  • Custo de aquisição de novos clientes/subscritores


Pontos-Chave


Escolha apenas os canais sociais que se alinham com o seu público e não sinta obrigação de criar perfis sociais que não fazem sentido para a sua marca.

As pessoas nas redes sociais não estão, normalmente, em modo comprador. Estão a falar com amigos, família, a querer relaxar e ser entretidos. Adapte a sua mensagem a isso.

Aproveite as redes sociais para falar diretamente com o seu público. Faça perguntas, mostre interesse, responda e entre na conversa.

É essencial que tenha objetivos e forma de medir os seus números. Defina quais as suas métricas mais importantes, com base nos seus objetivos (mais visitas, mais exposição, mais vendas e conversões)

Usando estas métricas, pode perceber o que está a fazer bem e o que pode melhorar.

Nunca é demais repetir: foque-se no seu cliente. Seja interessante pare ele. Ajude-o. Fale sobre coisas que ele quer ler e deixe o marketing tradicional de fora das redes sociais.


Não tem tempo para ler o próximo capítulo agora?



Guarde o resto para ler mais tarde. Faça download deste guia em PDF gratuitamente:


Sim! Receber o meu PDF