Capítulo 3: Sem Visitas Não Há Site Que Resista


Um site precisa de tráfego para sobreviver. Existe tráfego bom e mau, mas como pode distingui-los? Descubra também as diferenças entre tráfego pago e gratuito, como gerar ambos e qual o melhor para si neste momento.

facebook share iconlinkedin share icontwitter share icongoogle plus share icon

QUATRO FORMAS DE PARTILHAR



Se acha que basta lançar um site e as pessoas começam a vir, está bem enganado. A famosa frase: “Construam que as pessoas veem” é a maior falácia do marketing digital.

Sem visitas, o seu site será mais um entre os milhares de sites esquecidos nos cantos obscuros da internet.

O que preciso de fazer?

Precisa de criar uma estratégia para atrair tráfego ao seu site e precisa de trabalhar nisso todos os dias. Do tráfego pago ao tráfego gratuito. Dos anúncios aos artigos no blogue. Precisa de criar conteúdo genial que seja do interesse das suas visitas.

O conteúdo certo para atrair o tráfego certo

O seu objetivo é atrair tráfego? Não, é atrair potenciais clientes. Nem todas as visitas são iguais e o conteúdo que cria e a forma como o promove são essenciais para o tipo de pessoa que vai chamar de volta ao site.

Gerar trafego é a atividade de marketing digital mais importante. A vida do seu site depende disso. Continue a ler para perceber a melhor forma de o fazer.



O melhor site do mundo é irrelevante
se não consegue atrair visitas
e ninguém o consome


Um Site Sem Tráfego Não Existe


Em primeiro lugar, é importante que perceba duas coisas:

  • Sem trafego o seu design é irrelevante
  • Sem trafego o seu conteúdo é irrelevante

Porquê estes dois princípios? Porque a principal causa de sites novos falharem é focarem-se em demasia no design ou no conteúdo.

Atenção: mesmo o bom conteúdo. Aliás, o melhor conteúdo do mundo é irrelevante se não conseguir atrair visitas ao site.

Imagine que alguém pintava o quadro mais belo de sempre e o expunha numa ilha deserta, sem avisar alguém da sua existência. Do que vale tal obra de arte existir se ninguém a pode contemplar? Será que ela existe na realidade?

Como dar a volta a este problema? Como evitar perder meses de trabalho em web design ou a criar conteúdo de qualidade que depois ninguém vai consumir?

Aplicando o famoso princípio de Pareto – 80% dos seus ganhos resultam de 20% das suas atividades. Neste caso, deve aplicar este princípio à promoção do seu site. O ideal é passar 20% do tempo a trabalhar no site (design + conteúdo) e os restantes 80% do tempo a promovê-lo. 

Não estou a defender que perca pouco tempo a criar conteúdo ou que corte na qualidade. Se já leu o nosso blog, sabe que defendemos um princípio essencial: “o nosso conteúdo gratuito tem de ser tão bom ou melhor que o melhor conteúdo pago do mercado”.

Sugerimos que tente adoptar a mesma postura. Publique apenas conteúdo que seja uma verdadeira mais valia para as suas visitas. Não seja igual aos outros milhares de sites que existem, onde o mau conteúdo é rei porque é o mais fácil de criar. Esses sites são facilmente esquecidos e ignorados. Você quer que as suas visitas se lembrem do seu site e o vejam como uma referência.

Criar conteúdo memorável é o primeiro passo para atrair tráfego. O segundo passo, é promover esse conteúdo memorável para que as pessoas o possam consumir, promover e distribuir.



O tráfego não é todo igual.
Existe tráfego bom e mau.
Um converte, o outro não.


Nem Todas as Visitas São Iguais


É tentador olhar para números grandes e pensar que é isso que quer para si. Mais visitas no site, mais fãs nas redes sociais e uma lista de email maior. E se lhe dissermos que o número em si é pouco relevante?

Existem vários tipos de tráfego:

  • Tráfego que converte vs tráfego que não converte
  • Tráfego alvejado vs tráfego aleatório

Nem todo o tráfego tem a mesma qualidade ou as mesmas hipóteses de converter. Os dois fatores que afetam mais a qualidade do seu tráfego são:

1. A fonte desse tráfego (local de onde veem)

Olhe para os perfis de cliente que criou no primeiro capítulo. Quais os sites que visitam? Aí está a sua melhor fonte de tráfego. Foque a sua promoção nestes sites. Tráfego de outros sites não vai converter da mesma forma.

Existe um grande foco em tráfego das redes sociais. O problema é que esse tráfego não está em modo comprador. Estão a conversar com familiares, amigos, etc. É um tipo de tráfego que dificilmente converte, especialmente se não for alvejado de forma  a tentar atrair o perfil ideal.

2. O tipo de conteúdo e a sua qualidade

O mau conteúdo atrai visitas desinteressadas e que não convertem. Como assim? Imagine o seguinte caso: tem um problema que quer muito resolver. Está à procura de uma solução na internet e coloca a pergunta no Google. Vai encontrar vários sites com artigos do género “6 truques para acabar com X”. Ao clicar, chega a um artigo com 600 palavras e uma imagem. Foi claramente escrito em 30 minutos e o autor não fez nenhuma pesquisa. É um artigo de opinião e nenhum dos fatos é comprovado ou acompanhado de um link para a fonte.

Ficaria satisfeito com este artigo ou ia continuar à procura de uma solução para o seu problema?

Pois. O resto das pessoas também continua à procura quando leem mau conteúdo. As únicas pessoas que são atraídas a mau conteúdo são pessoas que nunca vão comprar ou agir naquilo que leem. Gostam de consumir conteúdo mas nunca tomam o passo seguinte.

Conclusão:

  • Tráfego mau e que não converte (spam) – este tipo de tráfego encontra-se em sites de baixa qualidade ou sites não comerciais. É atraído por mau conteúdo e não converte. É também possível atrair este tipo de tráfego se promover o seu conteúdo nos locais errados.
  • Tráfego bom que converte – este tipo de tráfego está nos locais que assinalou quando criou o seu perfil de cliente ideal. É atraído por bom conteúdo. Conteúdo detalhado e que o ajuda a resolver os seus problemas/dúvidas.


Tráfego Gratuito vs Tráfego Pago


O trafego online é normalmente divido em dois grupos:

  • tráfego gratuito
  • tráfego pago

O trafego gratuito é composto pelas pessoas que chegam ao seu site de forma orgânica (motores de busca), das redes sociais, sites de notícias, etc.

O trafego pago inclui todas as pessoas que chegam ao seus site através de anúncios pagos. Isto inclui anúncios do Google, anúncios nas redes sociais e qualquer tipo de pagamento feito para aparecer em sites de terceiros. Existem sites que aceitam o chamado conteúdo “patrocinado”. Os sites são obrigados a avisar as suas visitas de que aquele conteúdo é um anúncio pago pela empresa para aparecer.

Na realidade, o conceito de tráfego gratuito não existe. Todo o tráfego gerado requer um investimento de tempo e dinheiro. No caso do tráfego gratuito, precisa de criar conteúdo de qualidade e promovê-lo. Precisa de ter uma estratégia de distribuição desse conteúdo, uma equipa para criar conteúdo regularmente, gerir as redes sociais, etc.

O tráfego pago tem um custo inicial, mas elimina a necessidade de promover e distribuir o conteúdo. As duas soluções são boas. Tudo depende da situação atual do seu site e do tipo de conteúdo que quer publicar.



Promova apenas conteúdo de qualidade
que gostaria de ler noutros sites.
Se você não gosta, ninguém vai gostar.


Principais Fontes De Tráfego Gratuito


1. Blog

Publique artigos relacionados com a sua indústria. Torne-se um líder de pensamento e transforme o seu blogue num local de referência, onde qualquer pessoa pode ler a melhor informação disponível na área. Ganhe a confiança das suas visitas até se tornarem clientes fieis e evangelistas da sua marca.

O blog é a cara do seu site. Publique apenas conteúdo que represente a qualidade da sua marca e que você próprio gostaria de ler noutros sites. Conteúdo de qualidade, aprofundado, que cite fontes e dê exemplos específicos.

2. Otimização para Motores de Busca (SEO)

Desenvolva uma estratégia para aumentar a visibilidade do seu site nos motores de busca. Antes das redes sociais, era uma das atividades mais importantes para as empresas que queriam aparecer nos primeiros lugares do Google. Continua a ser essencial, mas é uma fonte de tráfego que requer um grande investimento de tempo a médio e longo prazo.

3. Redes Sociais

Desenvolva perfis em redes sociais como o Facebook, o Twitter, o Pinterest, o LinkedIn, etc. Forma gratuita de interagir com o seu público alvo e difundir a imagem da sua marca. Para ter melhores resultados, foque-se nas redes sociais mais adequadas ao perfil do seu cliente ideal.

Ao publicar bom conteúdo, centrado nestes clientes, tem a hipótese de atrair tráfego gratuito para o seu site.

Ignore os números e evite comprar fãs. É melhor ter menos fãs mas que interagem com a sua marca do que um número grande de pessoas que nunca interagem com as suas publicações.

4. Guest Posts (artigos de convidado)

Se está apenas a começar, ainda não tem muitas pessoas a visitar o seu blog. Aqui entra o poder dos guest posts. A ideia é descobrir sites que tenham muitas visitas, dentro do seu perfil de cliente ideal, que aceitem artigos de convidados. Ao escrever artigos para estes sites, tem a hipótese de deixar um link para o seu site. Quem gostar do artigo pode voltar ao seu site onde convertem.

Uma sugestão: no seu blog apenas deve publicar excelente conteúdo. Em blogs de outros, apenas deve publicar o seu melhor conteúdo. Em primeiro lugar, é mais propale que esses sites publiquem os seus artigos se forem assim tão bons. Em segundo lugar, está a criar uma ótima primeira impressão junto dos leitores desse site.

5. Lista de Email

“O dinheiro está na lista” – uma das frases mais famosas do marketing digital. Trazer pessoas ao seu site uma vez não é suficiente. Precisa de trazê-las de volta até que estejam preparadas para comprar. Aqui entram as listas de email. Ao captar o email das visitas, pode enviar notificações sempre que publicar conteúdo, lançar um novo produto ou criar uma promoção.

A lista de email é provavelmente a arma mais poderosa no arsenal de um marketer online. Comece a criar a sua desde o primeiro dia.

6. Networking

Crie relações com outros sites e com jornalistas para poder publicar o seu conteúdo em sites de notícias ou em sites de topo na sua indústria. Como é que faz isso? Entrando em contacto com essas pessoas e oferecendo ajuda. Descubra a informação de contato das pessoas e envie um email pessoal e personalizado. É uma estratégia a longo prazo, que requer dedicação e empenho.

Lembre-se: se quer que alguém leia o seu email, foque-se nessa pessoa e nas suas necessidades. Seja uma ajuda. Seja diferente dos outros que apenas pedem coisas. É a melhor forma de se lembrarem de si e responderem.



O tráfego pago não é um custo.
É um investimento e traz retorno
quando bem implementado.


Uma Nota Importante Sobre Tráfego Pago


Existem várias formas de pagar por tráfego como por exemplo:

  • A colocação de um banner noutro site
  • Pagar para aparecer nos primeiros resultados dos motores de busca
  • Campanhas de retargeting (mostrar um anúncio a pessoas que já visitaram o seu site ou sites parecidos).

É normal que as pequenas empresas e o novos webmasters tenham algum receio face ao tráfego pago. Não sabem se funciona e têm medo de gastar o seu orçamento todo sem ter nada para mostrar.

Ao evitar o tráfego pago, está a riscar qualquer possibilidade de atingir uma grande porção do seu público alvo. Essas pessoas navegam nesses sites e usam esses motores de busca. Precisa de chegar até elas e os anúncios pagos são a forma mais rápida e fácil de o fazer.

Se é totalmente averso a investir dinheiro em tráfego pago, como é que pode justificar a existência de uma equipa de marketing? Ou também não vai investir em tráfego gratuito? Se tem alguém para criar bom conteúdo e promovê-lo, essas pessoas devem ser capazes de converter o seu tráfego pago.

Mais ainda, o tráfego pago não é um custo. É um investimento e dá retorno quando bem desenvolvido. Como é que pode começar? Com um pequeno investimento (100€/350R$), por mês. Assim evita gastar o seu orçamento enquanto testa as várias opções e percebe o que funciona melhor para si.

Depois de perceber quais opções oferecem o melhor retorno de investimento, é uma questão de afinar os números todos os meses. 

Não se preocupe muito com este tema por enquanto. Iremos desenvolver melhor no capítulo 8.



Pontos-Chave


Um site precisa de tráfego para existir. Até gerar tráfego de forma consistente, tudo o resto é irrelevante. O seu design, o seu conteúdo, as suas vendas, nada disso é relevante se não consegue trazer pessoas de volta ao site para justificar o seu investimento no mesmo.

Existe bom tráfego e mau tráfego. Não se foque em tráfego que não converte. Os números são irrelevantes se não se traduzirem num aumento da sua receita. Para atrair o seu tráfego alvejado, crie bom conteúdo, focado no seu cliente ideal e promova-o nos locais onde esses clientes navegam online.

O tráfego gratuito e o tráfego pago são ambos importantes e devem fazer parte do seu plano de marketing digital. O tráfego gratuito exige tempo e dedicação para dar resultados. O tráfego pago precisa de um investimento inicial e tempo para testar o que funciona melhor.

O tráfego pago não é mau nem deve ter medo de pagar para ter visitas. Comece com um orçamento pequeno (100€/350R$ por mês) e teste as várias plataformas até perceber qual dá o maior retorno de investimento.


Não tem tempo para ler o próximo capítulo agora?



Guarde o resto para ler mais tarde. Faça download deste guia em PDF gratuitamente:


Sim! Receber o meu PDF